Kmaleon Entrevista leadlovers: Quais os desafios das áreas de RH com o Home Office? – com Elyã Barboza

A adaptação das áreas de RH (Recursos Humanos) para o home office pode ser ainda mais desafiadora do que para os demais departamentos. Como trabalhar a gestão de pessoas sem que elas estejam por perto?

Uma das dificuldades que os profissionais de RH têm passado, é sobre diminuir o distanciamento entre os colaboradores, além de uma grande preocupação com a ansiedade que pode abater as pessoas do time durante a crise.

  • Será que a infraestrutura do home office está adequada?
  • Como os meus colaboradores estão trabalhando a ansiedade?
  • A comunicação entre os times está acontecendo?
  • As atividades estão sendo executadas?
  • Os horários de trabalho estão sendo cumpridos?

Com base nessas dúvidas, Guto Oliveira (Head de Marketing da Kmaleon), conversou com a Elyã Barboza, analista de RH da empresa leadlovers, com o intuito de entender o ponto de vista de um profissional de Recursos Humanos, sobre a atual crise que estamos passando.

Entenda como uma das principais Empresas de Automação de Marketing do país está trabalhando com os seus colaboradores.

Veja a entrevista completa a seguir:

Guto Oliveira


Como vocês estão agindo para manter a operação funcionando frente ao Coronavírus?

Elyã Barboza

Estamos todos trabalhando em home office. Por ser uma empresa de tecnologia, todos os nossos servidores são online e por isso, não tivemos a nossa operação comprometida.

Guto Oliveira

Qual é a sua leitura sobre o trabalho Home Office e quais os desafios para adotar essa Prática como Cultura?

Elyã Barboza

O trabalho home office permite que a operação não pare. Neste momento, estamos todos 100% disponíveis para ajudar nossos clientes e isso só é possível porque cada um pode trabalhar tranquilamente do conforto e segurança do seu lar. 

O grande desafio é manter a comunicação e o engajamento ativos. Nesse sentido, nós do RH buscamos realizar ações de modo a lembrar nossos colaboradores de que estamos unidos, mesmo que distantes.

Guto Oliveira

Quais são os maiores desafios e preocupações de passar do presencial para o remoto, em um cenário envolvendo saúde pública, principalmente com o momento que estamos vivendo hoje?

Elyã Barboza

Um grande desafio nesse cenário é auxiliar as pessoas na questão da ansiedade. Ficar em casa sem poder ir a outros lugares pode ser extremamente difícil, principalmente para as pessoas que possuem um perfil mais ativo e dinâmico.

Por isso, é muito importante realizarmos ações de modo a amenizar isso – mais uma vez, reforçando a união de todos.

Guto Oliveira


Como que a leadlovers está trabalhando remotamente a proximidade dos seus Funcionários? Basicamente, como vocês estão estimulando a colaboração e comunicação entre as pessoas do time?

Elyã Barboza

Fazemos laboral todos os dias via Zoom, onde divulgamos alguns conteúdos para incentivar os nossos llovers a compartilharem conteúdo entre si também.

Além disso, sempre deixamos muito claro o quanto o RH está à disposição – seja para conversar, desabafar, trocar ideias ou apenas dar um oi e sair um pouco da rotina. Usamos a ferramenta Feedz, que é uma ferramenta focada no engajamento e comunicação, e isso tem ajudado muito.

Guto Oliveira


Quais tecnologias estão ajudando a leadlovers no desenvolvimento dessas atividades?

Elyã Barboza

As tecnologias que nós utilizamos são:

Guto Oliveira


Como vocês estão acompanhando o progresso das demandas?

Elyã Barboza

Cada líder se reúne de forma online com o time para alinhar as atividades. Além disso, usamos uma ferramenta que se chama ClickUp, que é uma espécie de Trello “mais desenvolvido”.

Lá, é possível acompanhar cada atividade e o status de realização. No time de suporte, usamos a ferramenta Zendesk, que traz relatórios com indicadores do atendimento.

Os líderes se reúnem semanalmente (por enquanto, também de forma online) e trocam ideias sobre os times. Além disso, pela ferramenta Feedz, é possível acompanhar o andamento dos OKRs da empresa e de cada time.

Guto Oliveira

Olhando para o nosso cenário atual e entendo que as empresas precisam trabalhar estratégias para atingir seus objetivos de venda, geração de leads e manutenção dos seus clientes, quais os principais pontos que você levantaria para ajudar nesse desafio?

Elyã Barboza

O ponto principal é conseguir focar no relacionamento com o cliente. O momento é essencial para a empresa mostrar que se preocupa e se coloca totalmente a disposição do cliente.

Estamos em um momento complicado para a nossa economia e, pelo menos no caso da leadlovers, oferecemos uma possibilidade para que nossos clientes possam continuar atuando e gerando impacto positivo no mercado.

Nossa ferramenta ajuda o cliente a trabalhar no mercado digital. Com isso, as pessoas encontram na leadlovers, uma possibilidade de continuar gerando renda e sustento para as suas famílias.

Guto Oliveira

Você acredita que esse momento é uma oportunidade para as empresas experimentarem novos canais de aquisição e se manterem abertos para adequarem seus processos atuais?

Elyã Barboza

Com certeza! Quem não é visto, não é lembrado. Por isso, é o momento de experimentar, errar rápido, aprender, estruturar processos e estratégias de modo a se destacar perante os demais.

É o momento para as empresas traçarem suas estratégias para serem lembradas e se tornarem referência para as pessoas.

Guto Oliveira


Mesmo em um ambiente bem diferente do normal, como você interpreta a atenção com a experiência do cliente?

Elyã Barboza

A atenção com a experiência do cliente é a peça-chave para qualquer empresa! Nesse cenário estranho, instável e incerto, as pessoas precisam ter certeza de que a empresa está lá, pronta para ajudar.

A experiência proporcionada, principalmente nesse momento que passamos, será marcante, tanto positivamente, quanto negativamente. Por isso, é essencial ter o time engajado em promover a melhor experiência possível para todos os clientes.

Guto Oliveira

Quais tecnologias você recomendaria para quem está buscando atingir ou superar as metas de venda, mesmo em momentos como os que estamos vivendo?

Elyã Barboza

Eu recomendaria a leadlovers, pois é a ferramenta mais completa para atuar no mercado digital e estruturar relacionamento com o cliente.

Guto Oliveira

Gostaria que você passasse uma mensagem final para todos sobre o assunto. Na sua opinião, qual é a responsabilidade das Empresas e Consumidores em reduzir os impactos dessa situação?

Elyã Barboza

Precisamos todos nos unir e entender que estamos no mesmo barco, todo mundo!

É momento para ajudarmos uns aos outros, estarmos disponíveis e buscarmos ideias para enfrentar essa situação da maneira mais positiva possível. Juntos, somos sempre melhores.

Essa foi a entrevista que a Elyã Barboza, profissional atuante da área de Recursos Humanos, deu para o Guto Oliveira. A Kmaleon está com uma série de ações e conteúdos para mostrar os caminhos que a sua empresa pode adotar se inspirando nas ações de outros profissionais.

E saiba como contornar a crise do COVID-19

Receba outras entrevistas e dicas importantes para o seu negócio se inscrevendo na nossa Newsletter. É super simples, você preencha esse formulário abaixo e pronto, já está dentro do nosso grupo. 😉

Obrigada e até a próxima. 🙂

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.