Como separar as contas pessoais e da empresa?

Por mais desafiador que seja fazer a divisão de contas pessoais e da empresa, ter esse controle é extremamente necessário. Neste artigo você entenderá como funciona essa separação e quais hábitos adotar para manter a saúde financeira da sua empresa.

A saúde financeira da empresa é um dos pilares mais importantes para o seu crescimento. Para que um negócio dê certo, o empreendedor precisa se preocupar em 3 fatores que influenciam diretamente no resultado:

  • Processos;
  • Pessoas;
  • Ferramentas.

Esses pilares se complementam, ou seja, são pessoas competentes, operando processos bem definidos com o apoio de ferramentas. Por isso, pense que é você e a sua equipe, gerindo um processo financeiro eficiente e utilizando uma boa tecnologia de apoio.

Assim, logo de início, queremos reforçar a importância de plataformas digitais para o sucesso do seu negócio, inclusive para a gestão financeira e separação de contas.

Por que separar as suas contas de pessoa jurídica (PJ)?

contas empresa
Fonte: Pexel

O pior erro do empreendedor é achar que o dinheiro da empresa é o seu “salário” e confundir as suas contas pessoais com os investimentos da empresa. Infelizmente essa mistura de contas são muito comuns, principalmente para o microempreendedor.

Fique Alerta!
Esse é um dos grandes fatores de risco para quem está começando o seu próprio negócio.

Assim, misturar as despesas de pessoa física (PF) com a pessoa jurídica (PJ) pode se tornar uma combinação tóxica para a sua empresa. Muitos empresários acabam indo à falência por não conseguirem organizar as suas contas.

É claro que eventualmente irão surgir despesas que você, pessoa física, gastará pela empresa. Porém, contas domésticas não devem ser incluídas!  

Isso porque, o controle de fluxo de caixa tem a função de te mostrar o que você tem de entradas e saídas financeiras. Se você mistura com seus gastos domésticos, você não terá uma visão real sobre a margem de lucratividade do seu negócio.

Portanto, a desorganização do cenário financeiro da sua empresa pode levar a gastos excessivos e prejuízos no curto ou longo prazo.

Atenção! Você pode receber uma advertência

Ao manter a mesma conta bancária para pessoa física e jurídica (negócio), você está violando o princípio contábil do Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e pode receber uma advertência por isso.

Por isso, o primeiro passo para a separação das contas pessoais e da empresa é criar contas bancárias separadas. Explicaremos melhor como planejar essas ações no próximo tópico.

Como separar as contas pessoais e da empresa?

gestão financeira
Fonte: Pexel

Para separar as contas pessoais e da empresa é preciso entender muito bem a diferença entre o que é contas a pagar e contas domésticas. Contas a pagar são as obrigações financeiras que uma empresa assume com seus fornecedores e os funcionários.

As despesas pessoais é tudo que não tem nenhum vínculo com a empresa. Por mais que a realidade do empreendedor seja “viver” pela empresa, as despesas não devem se misturar.

Por exemplo:

Um jantar de negócios pode ser pago com um cartão de crédito corporativo, por ter relação direta com a empresa. Porém, uma viagem de família no final de ano não é despesa pessoal!

01 – Separe contas pessoais e da empresa

A separação de contas é o primeiro e mais importante passo para não misturar uma coisa com a outra. Para você abrir uma conta empresarial você precisa ter um CNPJ ativo.

Caso você não tenha, opte por abrir um MEI (Microempreendedor Individual), uma solução aos microempreendedores que permite um faturamento de R$81.000,00 ao ano (R$ 6.750,00/mês).

Ao criar uma conta bancária para a empresa, você pode centralizar todas as entradas e saídas da sua empresa, sem misturar com os seus gastos pessoais.

02 – Defina as suas Retiradas Pessoais:

De nada adianta você ter a separação de contas bancárias se você fizer retiradas financeiras sem critérios para suas contas pessoais. Por isso, é preciso definir rigorosamente as suas retiradas para manter a saúde financeira do seu negócio.

Existem 2 formas de fazer a remuneração pessoal e dos sócios:

  • Valor fixo;
  • Distribuição dos Lucros;

Valor Fixo:

Calcule um valor fixo para você e seus sócios, como se você fosse um funcionário da empresa e recebesse um salário todos os meses.

Mas quanto você deve receber?  
O mínimo possível!

Quanto mais dinheiro sobrar para a sua empresa, melhor para o futuro dos sócios. Para calcular a retirada de dinheiro, analise quanto que um gerente de um negócio ganharia exercendo o mesmo papel que você.

Seu salário não pode ser maior do que isso!

Distribuição dos Lucros:

Ao final do mês, os sócios ou o empreendedor deve calcular os lucros gerados pela empresa. Com essa informação, os envolvidos deverão analisar os resultados e determinar se a empresa está progredindo ou não.

Em caso de lucros, os sócios poderão combinar pela distribuição de acordo com uma regra contratual (qual é o percentual que cada um vai receber).

Vale lembrar que os empreendedores devem guardar o lucro gerado para investir na empresa e sempre manter dinheiro em caixa para emergências.

Lembre-se: invista no crescimento da empresa e mantenha reservas financeiras! Essas reservas devem cobrir pelo menos 3 meses de despesas da empresa.

03 – Tenha uma Ferramenta para Gestão Financeira

nota fiscal
Fonte: Pexel

Desapegue de conceitos ultrapassados de que ferramentas são caras e complicadas, pois atualmente a realidade é outra. Existem muitas opções de ferramentas de gestão empresarial (ERP’s) que oferecem automatizações nos processos burocráticos da empresa.

Por exemplo:

Emissão de Nota Fiscal;       
Fluxo de caixa automatizado;           
Demonstrativo de Resultado (DRE);           
Contas a pagar;

Para os pequenos negócios, existem soluções que cabem perfeitamente no orçamento da empresa e que oferecem recursos que vão de acordo com as necessidades do empreendedor ou profissional autônomo.

Para te ajudar na busca de soluções, reunimos os depoimentos dos usuários que utilizam um ERP para Micro e Pequenos Negócios:

#Psiu: Você pode experimentar o vhsys de graça!
Faça um Teste nesse ERP →

Conclusão:

Para dividir as contas pessoais e da empresa você precisa ter um controle do que está sendo gerado e por isso, as tecnologias são fundamentais para manter uma boa organização.

Os sistemas de gestão empresarial, também chamado de ERP, atendem a necessidade do micro e pequeno empreendedor para que ele consiga dar a devida a atenção ao processo de maneira geral do seu negócio, sem precisar se apegar a tarefas manuais da empresa.

A Kmaleon é uma plataforma que você busca e compara ferramentas, inclusive de ERP. Por isso, quando estiver precisando de soluções em tecnologias, pode contar com a gente.

Comece agora a sua busca por ERP’s →

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.